CABINE URBANA

MOSTRA COMPETITIVA

A intenção é provocar outros modos de ver uma seleção de filmes mais relacionados à videoarte e que dialogam entre si por apresentarem narrativas não lineares e sequenciais, por serem contemplativos ou terem uma estrutura narrativa mais fragmentada. Ao propor esse modo de exibição, buscamos transformar a fruição do espectador, colocando em questão os novos cinemas: expandido, múltiplo, híbrido. Assim como expandir o pensamento sobre as limitações e potencialidades da própria forma cinematográfica. Os filmes deste recorte são exibidos durante cinco horas, em uma estrutura distinta da sala de cinema. O espaço arquitetônico é determinante para os modos expressivos e narrativos, possibilitando a circulação e mobilidade dos corpos, a conversa, o olhar. O dispositivo de exposição contínua do filme está mais próximo das cabines dos museus, da videoarte, em que o essencial é a libertação do espectador. As Cabines invocam o corpo e o olhar do espectador que, livre para transitar e participar da exploração investigativa de descoberta das imagens, pode entrar e sair das Cabines quando quiser, construindo ele mesmo seu envolvimento com o trabalho. O olhar é o corpo, e está em constante movimento, em um eterno fluxo de ressignificações de espaços, formas, narrativas, permitindo escolhas que irão determinar experiências distintas.

A Cabine Urbana exibirá filmes em sessões corridas das 14 às 19 horas no espaço da Galeria de Bolso da Casa da Cultura da América Latina.

De 08 a 11 de Outubro.


08. OUT

Espectral

Chile, 2019, 10`40``

Um túnel com mais de 100 anos de história foi deixado à mercê da natureza, resultando em um cadáver da época em que a mineração de carvão ligava a costa à ferrovia nacional. É um espaço estranho em uma pequena curva no centro, onde há uma escuridão absoluta. Gravando seus sons imperecíveis e percutindo com dispositivos maquinais, os artistas geram a abertura para novas sensações sem calor e luz, mas cheio de sons, em um ambiente conquistado pela natureza e abraçado pelo tempo.

A tunnel with more than 100 years of history has been left to the inclemency of nature, leaving a corpse of a time where coal mining connected the coast with the national railway. It is a strange space in a small curve in the center absolute darkness is generated. Recording its imperishable sounds and percussing with machinic devices, the artists generate the opening to new sensations lacking heat and light but full of sounds, in an environment conquered by nature and embraced by time.

Claraboia 

Japão, Michael Lyons, 2018, 01`30``

Um olhar poético sobre uma claraboia do Porto filmado por três dias usando três estoques diferentes de filmes Super 8. Um deles é o Kodachrome de décadas atrás, revelado à mão com café e vitamina C.

A poetic look at a Porto skylight filmed over three days using three different Super 8 film stocks. One of the stocks is decades-old Kodachrome, hand-developed using coffee and vitamin C.

Là est la Maison /

Here is the House  

França, Lo Thivolle, Victor De Las Heras, 2017, 13`

Se não há, nada pode ser visto. De dentro, tudo pode ser ouvido. Na distância, os caminhos se estreitam. Enquanto nas proximidades, as perspectivas se expandem.

From without nothingcan be seen, Inside everything can be heard, In the distance the paths donarrow, While nearby prospects break open.

 09. OUT

I Don't See Deer

Grécia, Stella Mastorosteriou,Danai Tombrou, 2018, 06`08``

“I Don't See Deer” é um estudo coreográfico das inter-relações entre o corpo e o espaço urbano.  Criando imagens efêmeras específicas de um local que brinca com a fronteira entre o familiar e o desconhecido, o filme tenta destacar uma jornada alternativa no espaço urbano, descobrindo maneiras mais divertidas de estar em / pensar sobre a cidade.

I Don’t See Deer” is a choreographic study of the interrelations between the body and urban space. Creating ephemeral site-specific images that play with the boundary between the familiar and the unfamiliar, it attempts to highlight an alternative journey in the urban space, discovering more playful ways of being in / thinking about the city.

Aporia 

Itália, SalvatoreInsana, 2019, 13`20``

“Aporia” é o primeiro resultado de nossa pesquisa sobre a hesitação como condição psicofísica e como uma atitude que se opõe à arrogância de sempre saber para onde ir / o que fazer / o que dizer. A aporia (ἀπορία), um conceito caro à filosofia grega, indica a impossibilidade de dar uma resposta precisa a um problema.

“Aporia” is the firstresult of our research on hesitation as psycho-physical condition and as anattitude that opposes the arrogance of always knowing where to go / what to do/ what to say. The aporia (πορία), a concept dearto Greek philosophy, indicates the impossibility of giving a precise answer toa problem.

Permanências 

Portugal, Ana Ruivo, Carolina Leal, Cristiano Alves, Esra Arslan, 2019, 6`

Documentário sobre a vida dos que permanecem no Metro do Porto, tomando como personagens principais as funcionárias da limpeza que mostram a arquitetura do Arq. Souto de Moura noutra perspectiva.

Documentary about the life of those who remain in the Porto’s Metro, with the janitors as main characters, which show the Souto de Moura’s architecture with another perspective. 

10. OUT

Civitas 

Argentina, Guillermo Miconi, 2018, 05`35``

Nas sequências filmadas de um ponto de vista quase zênite, são mostradas situações noturnas em que transeuntes e veículos fluem harmoniosa e ritmicamente.  Os quadros são configurados com alto contraste tonal e construídos como fotografias, mas em movimento. É aqui que "Civitas" aparece: um estado de vazio, silêncio e introspecção de indivíduos que tentam habitar as grandes cidades capitalistas.

In sequences filmed from a near-zenith point of view, nocturnal situations are shown where passers-by and vehicles flow harmoniously and rhythmically. The frames are configured with high tonal contrast and build as photographs but in movement. That's where "Civitas" appears: a state of emptiness, silence, and introspection of individuals trying to inhabit the big capitalist cities.

XCTRY 

Estados Unidos, Bill Brown, 2018, 06`18``

Deixando uma cidade natal e procurando a próxima.

Leaving one hometown and looking for the next one.

Cartas a un Gorrión

Colombia, Andrés M. Rojas, Sebastián Motta, 2018, 10`

Uma cidade, uma rua, uma jornada histórica e social enquadrada na história de uma das primeiras ruas modernas de Bogotá. Um retrato da beleza esquecida que o contexto social perdeu, desviando o olhar, olhando para baixo.

A city, a street, a historical and social journey framed in the history of one of the first modern streets of Bogotá. A portrait of the forgotten beauty that the social context made lose, diverting the sights, looking down.

11. OUT

Dourorganic

Portugal, LucasMartins, 2017, 02`

O quebra-mar da Foz do Douro é uma estrutura orgânica que conecta e separa o oceano Atlântico do rio Douro.  Concebido para desafiar as forças da natureza e permitir a interação humana, suas formas concretas mudam constantemente em um diálogo interminável entre luz e sombra. Tanto uma extensão quanto um limite para a cidade do Porto, onde o tempo e a memória são reforçados pela brutalidade e brandura dos elementos, o quebra-mar da Foz do Douro é um local poderoso para manifestar continuidade, encerramento, confronto e silêncio.

The breakwater of Fozdo Douro is an organic structure that both connects and separates the AtlanticOcean and the Douro River. Shaped to challenge the forces of nature and allowhuman interaction, its concrete forms are constantly shifting in a never-endingdialog between light and shadow. Both an extension and a limit for the city ofPorto, where time and memory are reinforced by the brutality and gentleness ofthe elements, the breakwater of the Foz do Douro is a powerful place tomanifest continuity, closure, confront-ation and silence.

Petrichor 

Turquia, MehmetYavuz Çakar, 2019, 04`

Como algumas pessoas destroem nossa natureza por causa de dinheiro e renda não merecida, esqueceremos o cheiro do solo após a chuva. Agora há um cheiro de concreto após a chuva.

As some people destroy our nature for the sake of money and unearned income, we will forget the smell of the soil after rain. There is now a smell of concrete after rain.


Lava 

Argentina, Paula,Dreyer, Gabily Anadón, 2017, 03`37``

Esta produção é um tributo às mulheres que a lavam roupa nas lavanderias públicas próximas ao rio Paraná, na cidade de Posadas Misiones, Argentina. O lugar era um grande tanque de água onde várias mulheres se juntavam para lavar e se encontrar, agora representa a memória daquele tempo.

This production is a tribute to the women who wash her clothes in the public laundries near to the Paraná River in the city of Posadas Misiones, Argentina. This place was a big water tank where a lot off women congregate to wash and meet, now its represents the memory of that.

The Inhabitant

Argentina, Diego Mandelman, 2019, 05`20``

O último habitante de uma cidade, inundada eem ruínas, refugia-se em sua memória e nas lembranças que ainda persistem nela.

The last inhabitant of a town, flooded and in ruins, takes refuge in his memory and in the memories that still persist in it.


Using Format